Terço na Catedral: 100 anos de fé e perseverança!

Postado em: 07/09/2020

Terço na Catedral: 100 anos de fé e perseverança!
Em seu livro “Paróquia Santa Teresa: 100 anos de fé e história 1884-1984”, o padre Ernesto Brandalise registra o ano de 1920 como o início da récita diária do terço na Paróquia Santa Teresa. Diz o registro: “Neste ano começou-se a rezar o terço todas as noites na Matriz, visando à perseverança na fé” (BRANDALISE, 1985, p. 44). Portanto, em 2020 comemora-se 100 anos que, ao entardecer, às 18 horas, horário que, por tradição, muitos ainda rezam a Ave Maria, um grupo de pessoas reza o terço na Catedral.
Para assinalar tão importante fato, no dia 7 de outubro deste ano, 2020, dia de Nossa Senhora do Rosário, o terço será rezado de forma especial, transmitido via Facebook e também de modo presencial na Catedral, repetindo o mesmo gesto feito em 100 anos e apenas interrompido em março de 2020, devido à pandemia, mas que graças aos padres da paróquia, o pároco Pe. Volnei Vanassi, e o vigário Pe. Vinícius Caberlon, logo teve a continuidade garantida.
Você é convidado a participar nesse dia, e comemorar os 100 anos de fé e perseverança na récita desta querida oração mariana.

Memória de pessoas que trouxeram grande contribuição à devoção na paróquia:

Monsenhor João Meneguzzi
(Pároco da Catedral de 1911 a 1943), falecido em 1965.
Em 1920, introduz a récita diária  do terço na Catedral, antes da missa vespertina (BRANDALISE, 1985).

Padre Ernesto Brandalise
(Pároco da Catedral de 1943 a 1967), falecido em 1994.
Escreve a história dos 100 anos da Catedral, realizando importante relato histórico em seu livro “Paróquia Santa Teresa: Cem anos de Fé e História  1884 – 1984”. Paroquianos de viveram na época da atuação do padre na paróquia lembram que o Padre Brandalise “rezava o terço diariamente e costumava caminhar pela igreja enquanto rezava” (Nelcy Stella Piccolli, 2020).

Padre Hilário Piazza
(Pároco da Catedral, de 1984 a 2001), falecido em 2010.
O padre tinha o hábito de rezar o terço com o grupo que se reunia para a récita do terço, e costumava ficar rezando ajoelhado.

Nelcy Stella Piccoli, paroquiana
Leiga, 89 anos, órfã desde início da infância, foi criada por Ermelinda Rossi. Realizou a Primeira Comunhão com nove anos de idade. Morou próximo à Igreja São Pelegrino. A partir de 1950 passa a residir próximo à Catedral e, desde então, passou a rezar o terço na Catedral e participava diariamente das missas. Interrompeu a frequência ao terço presencial durante a pandemia em virtude de ser do grupo de risco. Relata que o terço sempre foi rezado, recorda desde pequena. É dela o relato de que o padre Brandalise, então pároco da Catedral, rezava o terço diariamente e costumava caminhar pela igreja enquanto rezava.
Nelcy relata que sempre houve uma valorização do terço na Catedral. Também no período de 2001 a 2020 houve sempre grande empenho dos padres em incentivar o grupo do terço na prática diária dessa oração. Rezar, especialmente o terço, sempre foi motivo de grande alegria para Nelcy. Dos 100 anos de terço na catedral, 70 anos foram vivenciados por ela. Hoje ela reza o terço várias vezes ao dia.

Ari Antônio Ortigara, paroquiano
Leigo, paroquiano da Catedral, falecido em 19/05/2020, com 65 anos.
Participava assiduamente do terço da Catedral. Em seus últimos anos de vida, por envolver-se intensamente nos cuidados de seu pai e de sua mãe, por período longo de doenças, o senhor Ari priorizou esses cuidados. Entretanto, é sempre lembrado pelo firme testemunho de vida, de fé e de perseverança na oração do terço. 

Ovídio Dalponte
Leigo, paroquiano e ministro da Eucaristia da Catedral, falecido em 17/09/2019, com 75 anos. Ovídio também tinha presença assídua na récita do terço ao entardecer do dia na Catedral, e isso por mais de vinte anos. Sua forma de rezar testemunhava, para todos que o conheceram, o valor da oração e sua fidelidade e perseverança na fé.

ORGANIZAÇÃO
Lorena Basso
Rosalina Schvarstzhaupt
Fotos: Vinicius de Vargas Bacichetto